sábado, 27 de abril de 2013

Todas as fêmeas grávidas precisam de um ninho!

A gravidez é um tempo para chocar a cria, ou seja, é um tempo para parar (mesmo que isso possa parecer impossível!), porque sem este passo inicial nada se faz. Para ter as condições para acertar os ponteiros do relógio interno, é necessário interromper a rotina habitual com novas actividades, tais como a não-actividade, e ajustar tempos e ritmos. E assim, é-nos permitido tomar consciência da grandeza deste evento, conectarmo-nos com o bebé que aí vem, com o pai dele, e com todo este momento de vida.
Na natureza, as fêmeas costumam ficar muito agitadas antes do parto, até ao momento que sentem que vão parir e, então, aquietam-se. Connosco, também surge um comportamento semelhante, também preparamos nosso “ninho” (às vezes de forma ainda mais louca que os animais!), e esse instinto, geralmente, intensifica-se à medida que nos aproximamos da data prevista para o parto.



Se até agora achei que isso comigo não iria acontecer, porque fui montando o quartinho com todos os pormenores e toda a calma do mundo, lavando e passando as roupinhas, comprando todos os produtos de higiene, fazendo as malas, e tudo e tudo e tudo!, eis que dei por mim, desde há 2 dias atrás a correr de um lado para o outro, feita barata tonta, a inventar 1001 coisas para fazer, incluindo o que era suposto ser a empregada a fazer quando cá chegasse e não me visse! Desde lavar forras do berço e do mudador de fraldas, a lençóis, cortinados e peluches, a desfazer e refazer as malas, a desesperar quando não sabia de um casaquinho que estava exatamente à minha frente, a lavar biberons (que espero não precisar!), a ver prazos dos alimentos no frigorífico (para gastar os que o prazo de validade está a terminar para breve)! Só de pensar nisto, fiquei cansada!
Ou seja, está provado, este instinto de fazer o ninho é geral e primário nos animais e eu faço mesmo parte do grupo! Não escapei! Se dissesse o que já fiz hoje desde que acordei... 

A par disto - e esta fatia de insanidade não deve caber na cabecinha dos outros animais, e ainda bem para eles! - começam a surgir pensamentos e medos que dantes não existiam... Mas prefiro falar deles mais tarde, depois de passar tudo... Senão a ansiedade instala-se a sério e o miúdo já sofreu que chegasse um dia destes! Até pensei que me ia saltar da barriga, tamanha era a agitação!

Isto aconteceu com vocês?

Acompanhe o Aventuras a 4 no Facebook aqui!

2 comentários:

Helena disse...

No dia 15 (e a bolsa de águas rompeu às 2h dessa noite) estive a arrumar as coisas de natal :))) Quem sabe se não vai ser para muito breve a chegada do baby I!!!

CP disse...

Eu lembro-me! :D Quem sabe? ;) =D

Enviar um comentário