domingo, 16 de junho de 2013

O que vem com a amamentação

Isto de se ser mãe tem mesmo muito que se lhe diga. É todo um mundo novo que, de repente, uma mulher tem que descobrir. Vários são os assuntos inerentes a este tema mas hoje, em particular, vou-vos falar da amamentação. 

Body de golas Laranjinha, Calças de peito Girandola

Não é segredo nenhum que sou completamente a favor do aleitamento materno por mil e uma razões, que sempre quis amamentar. Já sabia que, às vezes, é complicado e que nem todas as mães conseguem. O que eu não sabia é que é quase um mundo à parte, tantas são as questões que lhe estão relacionadas... 
Como já vos falei aqui, o I, mal foi posto ao meu colo, instintivamente soube o que era para fazer e, vigorosamente, agarrou e mamou.  Pareceu-me até simples demais... A partir daí, foi mamando como, a priori, seria suposto. Achava eu, pelo menos. 
Quando foi visto pelo pediatra, na casa de saúde, "aprendi" que não devia ouvir as opiniões das outras pessoas, que a mãe era eu, e que eu saberia como o alimentar direitinho (sim, porque nestas alturas é tudo a opinar, e não percebem que, por melhor que seja a intenção, não estão a ajudar). Também me disse que "dormir é meio sustento" e que só o deveria acordar para mamar se ele dormisse mais de 4 horas de dia e mais de 6 horas à noite. Fantástico!, porque ele até começou logo a fazer bons sonos. 
Entretanto, pesamo-lo no centro de saúde e ele tinha perdido menos de 10% do peso à nascença, logo, teoricamente, tudo a rolar! Depois, fomos ao pediatra e continuava tudo impecável. Acrescentou só que não devia amamentar com intervalos inferiores a 2 horas e que ele devia estar apenas 15-20 min em cada mama. E pronto, toca a seguir as recomendações, para que ele aumentasse, em média, 20–30g/dia. 
As preocupações começaram quando na semana seguinte ele tinha engordado, menos que as tais 20g diárias. E, embora o pediatra não mostrasse qualquer tipo de preocupação, ficamos nós preocupados! E eu então passei–me porque comecei a pensar que estava a dar fome ao meu filho... Mais uma vez pensei: Cátia, o que dirias a uma mãe se te aparecesse assim preocupada no consultório? Ora bem, se após as mamadas ele fica consolado como eu sei lá e a dormir; se mama bem porque eu sinto a puxar; se após as mamadas, por vezes, ainda congelo leite porque ele não esvazia completamente; e não sendo nunca o leite materno de fraca qualidade (e a quantidade não é problema), fome ele não deveria estar a passar! Mas então porque é que não aumentou de peso como era suposto? E esta questão tirou-me o sono, tenho-vos a dizer... Na semana seguinte, o aumento já era normal: fiz uma festa! :p Mas na outra voltou a estar baixo...  Bem,  eu já não sabia que fazer até que falei ao pediatra e, para eu ficar contente, claramente!, ficou combinado que o ia acordar à noite para mamar e durante o dia também, com intervalos mais regulares. O pediatra não estava minimamente alarmado, mas o que é certo é que eu tive sinal verde para a avançar com a táctica e ainda mais certo é que nas últimas semanas o rapaz aumentou muito mais que as 30g/dia que era suposto. Ou por causa desta nova táctica ou porque realmente eles não aumentam sempre da mesma forma, porque cada criança é única e eles têm picos de crescimento, o que é certo é que agora tudo corre bem! E eu já me sinto segura para falar acerca disto! Não cumpro tudo à regra. Confesso que às vezes passou uma hora só é ele pede e eu dou um bocadinho (é um snack!, também tem direito), e doutras vezes, se vejo que ele estava meio a dormir e por isso mama mais devagar, passam-se os 20min: não é por isso que vem o mal ao mundo! Também comecei a ter muitos cuidados que não tinha tanto com a alimentação (principalmente por causa das cólicas) como com a ingestão de água (cerca de 2,5l/dia).

Isto para vos confessar que amamentar tem muitas vantagens mas é mesmo preciso querermos e não desistir, porque não é fácil. Nunca sabemos quanto é que ele mamou e se estará saciado. Só com o tempo é que os vamos conhecendo e percebendo os seus sinais. Somos mães e conhecemo-los melhor que ninguém, confiemos no nosso instinto ;) Por isso, meninas que vão ser mamãs e querem amamentar, muita força! Não desistam!

Meninas que amamentaram, partilhem as vossas experiências! ;)


Acompanhe o Aventuras a 4 no Facebook aqui!

4 comentários:

sofia disse...

Cátia, eu confesso que dava sempre que os meus filhos pediam... é difícil haver regras nestas coisas, a minha regra era que eles é que mandavam, pelo menos enquanto amamentavam, e sempre funcionou lindamente :-)

CP disse...

Gosto dessa regra ;) É mais ou menos o que eu faço agora e, pelo menos, fico de consciência bem mais tranquila ;)

Ps: Obrigada pelo presente! =) Beijinho!

Mané disse...

http://www.leitematerno.org/

acho que devias divulgar este link!

Tânia M. disse...

Eu tive o meu bebé esta semana e tenho o problema oposto... só mama e não dorme. Certo é que tem aumentado 100 gramas por dia, mas ando exausta... é difícil não desistir mas sinto minhas as tuas palavras: só traz vantagens. E bem ouvi críticas por dar de mamar sempre que ele pede... nunca ouvi tantas opiniões como nesta semana. =P

Enviar um comentário