quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Dias difíceis

Há dias assim: difíceis. Hoje foi um deles. Um dia em que tive que me conter algumas vezes para não deixar cair as lágrimas que surgiram nos olhos.
O consultório tem destas coisas. Há dias maravilhosos, em que damos os parabéns por uma nova gravidez, em que vemos bebés que estão a crescer a olhos vistos, que ficamos felizes e felicitamos os doentes porque estão a controlar bem a sua diabetes ou sua hipertensão. Depois há dias como os de hoje. Cheguei a casa de rastos e só descansei quando chorei. Porque realmente a vida é mesmo triste para muita gente. Dois dos piores casos de hoje foram relacionados com os filhos de dois dos meus doentes diabéticos. Em ambos eu ia incentivar a perda de peso e em ambos fiquei a apertar a boca não só porque realmente a perda de peso era o que menos importava mas porque não podia ficar ali a chorar com aquela mãe que tinha perdido um filho com 24 anos vítima de um linfoma e com aquele pai que tem um filho sujeito a cirurgias infindáveis depois de, aos 19 anos, estar sentado num passeio e ter um traumatismo crânio-encefálico porque passou um autocarro e levou-o à frente...  E agora estou a escrever e nem sei bem o que dizer ou pensar... Só sei que tenho que rezar muito para agradecer o que tenho e pedir para que tudo continue assim o máximo de tempo que for possível.
Depois chego a casa e vejo o filme da Filomena e do Rui Pedro...
Vale-me o meu bebé e as suas gargalhadas para me encher o coração, o abraço que arranquei à minha mãe, e o mimo do I.
E hoje rezo também por estas pessoas e por todas as que têm algum problema com os seus filhos, porque se dói como dói quando acontece alguma coisa a alguém que gostamos, quando acontece alguma coisa a um filho é tão contra-natura que eu nem sei onde é que se vai buscar tanta força para seguir em frente...

Acompanhe o Aventuras a 4 no Facebook aqui! 

2 comentários:

Aline Brito Paiva disse...

e parece que quando somos mães tudo nos mete muito, muito mais medo, não é :-( ?
não está sozinha. Temos mesmo de viver o dia a dia e valorizar muito o bom que a vida nos dá e tudo aquilo que temos.
E rezar muito para que nunca nos falte saúde. A nós e aos nossos!

CP disse...

É isso mesmo! Eu rezo várias vezes por dia... E agradeço muito! =)

Enviar um comentário